A TUA RÁDIO NO SUL

JÁ TOCOU
 
A TOCAR
 
VAI TOCAR
 
“Mulheres UAlg” são tema de destaque na revista UALGzine

Data

A Universidade do Algarve (UAlg) acaba de lançar mais uma edição da revista institucional «UALGzine». Com uma periodicidade anual, este número, dedicado às “Mulheres UAlg”, dá a conhecer o percurso de 25 mulheres, antigas e atuais alunas, funcionárias, investigadoras e docentes, que ajudaram a escrever a história da Universidade do Algarve.

Muito se fala do papel da mulher na sociedade. A verdade é que a mulher sempre desempenhou diversos papeis em simultâneo, tendo como cenário realidades diferentes, de acordo com a religião, a etnia, a cor, a localização geográfica, caprichos individuais ou outras realidades distintas. Esta edição número 15 dá a conhecer os rostos de algumas mulheres UAlg, que falam das suas “histórias”, dos desafios da mulher na sociedade atual, das referências que marcaram as suas vidas e dos seus percursos na Universidade do Algarve. Nelas estão representadas todas as outras mulheres que ajudaram a escrever a história da UAlg e a tornaram em “Uma Universidade que marca”!

À semelhança das edições anteriores, destina-se a um público-alvo diversificado, mantendo uma abordagem generalista e de fácil compreensão, recorrendo ao formato storytelling, mas sempre com o objetivo promover e divulgar a Academia.

Tal como refere a vice-reitora para a Qualidade, Planeamento e Formação, Ana de Freitas, no seu editorial, “no ano em que publicou o Plano Inclusivo de Igualdade de Género, a UAlg dedica um número da «UALGzine» às mulheres da academia, que tal como as entrevistadas afirmam, vestem a camisola e se dedicam de corpo e alma ao desenvolvimento da missão da Universidade, acreditando que esta, através de todos e logo também delas, contribui para um mundo mais justo, inclusivo e igualitário, e, portanto, melhor”.

No final de 2021, 72% dos recursos humanos afetos aos serviços da Universidade eram mulheres, 64% investigadoras e 52% eram docentes (Balanço Social da Universidade do Algarve, 2021). As mulheres, refere Ana de Freitas, “estão bem representadas em todos os setores de atividade da UAlg, em maior número nos tradicionalmente associados ao universo feminino, mas também nos que são mais ligados ao universo masculino”. Na sua opinião, “esta representatividade manifesta-se em quantidade, mas sobretudo em qualidade, que é também confirmada pelo número de mulheres que no final de 2021 assumiam cargos dirigentes dos Serviços (60%), das Unidades Orgânicas e da Reitoria (50%)”.

No que concerne aos estudantes da UAlg, explica ainda no Editorial, também são, maioritariamente, do género feminino, correspondendo a 55% do número total de inscritos em 2021/22 (DGEEC), encontrando-se apenas em minoria nos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (30% do total de inscritos).

Sendo certo que ainda muito falta fazer para uma sociedade mais inclusiva, igualitária e justa, prossegue a vice-reitora, “dos testemunhos recolhidos é percetível que a Universidade tem realizado um bom trabalho e que as mulheres da academia se sentem totalmente integradas e não discriminadas, em função do género, na Instituição”.

Pode ler a revista UALGzine (PDF) aqui

Veja as edições anteriores da UALGzine aqui