A TUA RÁDIO NO SUL - 102.7FM

JÁ TOCOU
 
A TOCAR
 
VAI TOCAR
 
Festival Política regressa a Loulé com programação inclusiva

Data

O Festival Política regressa a Loulé com uma programação inclusiva que encerra o itinerário da edição de 2023, sob o tema da Pós-Democracia.

De 19 a 21 de Outubro, com epicentro no Cineteatro Louletano, o principal festival em Portugal dedicado à promoção da cidadania, da intervenção cívica e dos direitos humanos leva ao Algarve o concerto-manifesto de A Garota Não, os prémios Monstros do Ano, com o humor de Fernando Alvim, o obrigatório Cara-a-cara com os/as Deputados/os, a peça de teatro ‘Sobre Rosas e Margaridas’, a exibição de oito filmes, debates, exposições, actividades para crianças e uma visita guiada pelos vestígios e marcas da presença da comunidade judaica em Loulé.

O remate da edição de 2023 do Festival Política acontece com uma descida a sul. Depois de Lisboa, Braga e Coimbra, Loulé é a última paragem este ano, de 19 a 21 de Outubro, com uma programação de entrada livre que se desenrola por vários espaços da cidade algarvia, tendo como epicentro o Cineteatro Louletano.

Nesta segunda edição em Loulé, agora com a bandeira da Pós-Democracia em riste, o Política reforça a reflexão sobre os limites do nosso sistema democrático, um ano antes da comemoração dos 50 anos do 25 de Abril, através da música, do cinema, do teatro e até do humor, ao convocar alguns dos artistas e intervenientes já conhecidos, mas também a comunidade local.

A Garota Não apresenta no Algarve o seu concerto-manifesto intitulado ‘Seleção Portuguesa: 10 milhões de convocados’ e um punhado de canções que transmitem os assuntos que a inquietam.

Também no palco do Cineteatro Louletano, outro acto político: ‘Sobre Rosas e Margaridas’, com encenação de Tânia Farias, resulta de uma criação colectiva da associação de artes performativas Folha de Medronho e do grupo de teatro Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz (Porto Alegre/Brasil), e pretende revoltar-se contra a discriminação e promover uma nova etapa de construção da mulher na sociedade.

E porque o humor é uma forma alternativa de colocar o público a pensar em coisas muito sérias, a ‘Edição quase quase política’ dos prémios Monstros do Ano, por Fernando Alvim, aterra em Loulé para mostrar os episódios mais surpreendentes do panorama político português.

No mesmo cineteatro são ainda exibidos oito filmes, entre curtas e longas-metragens. Além do vencedor do Urso de Ouro do Festival de Berlim, em 2022, ‘Alcarràs’, da realizadora catalã Carla Simón, e do documentário de realização colectiva ‘Novíssimas cartas portuguesas’, que questiona o ponto em que se encontra a luta feminista, no 50.º aniversário do livro ‘Novas Cartas Portuguesas’, o documentário ‘Sou Quarteira’, de Miguel Jacinto e Selma Lopes, revela a riqueza multicultural e a diversidade desta cidade (com a curadoria do movimento Sou Quarteira).

Até 21 de outubro as iniciativas do Festival Política multiplicam-se por Loulé. Pode ver o cartaz completo aqui e os bilhetes podem ser comprados aqui.