A TUA RÁDIO NO SUL

JÁ TOCOU
 
A TOCAR
 
VAI TOCAR
 
“Salir no Tempo” dos Romanos: recriação da História Local regressa com Nova Época

Data

Depois de vários anos a retratar o período medieval e a presença islâmica na vila, o “Salir no Tempo” regressa nos dias 22, 23 e 24 de julho, com um novo enquadramento histórico, desta vez dedicado à época romana.

Este evento contará com um programa diversificado de animação e recriação histórica, com espaços de uma villae romana, com uma arena onde irão decorrer espetáculos de gladiadores, acampamentos das legiões, a “corte” do imperador e sua guarda de honra, o bailado das ninfas, um mercado romano, artífices a trabalhar ao vivo, animação de rua e artes performativas, cetraria/falcoaria, espetáculos de serpentes, e naturalmente, um espaço de “comes e bebes” com o melhor da gastronomia do período romano. A gastronomia tradicional era vulgar, tendo na base da alimentação os vegetais e produtos da terra, complementadas com frutos como o figo, as romãs, as laranjas, as peras, as maçãs e uvas. Era também muito frequente o consumo de papas (puls) de cereais torrados ou em farinha, simplesmente cozidas ou misturadas com favas, lentilhas, hortaliças ou outros produtos. A carne, apenas consumida pelas pessoas mais ricas, era geralmente de carneiro, burro, porco, ganso, pato ou pombo.

Também a decoração de Salir irá transportar-nos para o período de ocupação romana, com as cores vermelha, branca, preta e dourada a destacarem-se, transmitindo o retrato de uma época e de uma civilização que marcou o que a nossa identidade, em termos da Língua, da Cultura, da Agricultura ou do Direito.

A organização vai pôr à disposição do visitante o aluguer de fatos e acessórios, por forma a que possam entrar no espírito e na pele das personagens de então.

A presença romana no concelho de Loulé é mais marcante no litoral, nomeadamente na área das freguesias de Quarteira e Almancil, nas áreas estuarinas das principais ribeiras, com o importante vicus localizado na Estação Arqueológica do Cerro da Vila, em Vilamoura, e nas villae e indústrias dos sítios de Loulé Velho, Quinta do Lago ou Salgados. Mas a presença romana vai mais além do litoral, penetrando e enraizando-se no território interior. Bom exemplo da exploração dos recursos naturais e agrícolas do barrocal e da serra do concelho são os sítios da villa do Espargal com o seu lagar, ou a importante villa da Torrinha com a sua área habitacional e cemitério. Contam-se ainda outros achados como uma inscrição votiva de Salir ou o «pequeno galo de bronze» do Serro dos Negros. Desconhece-se se serão realmente romanos o povoado ou necrópole de Palmeiros ou a mina de Ferro de Fonte Morena.

O “Salir no Tempo” abre as portas às 19h00. As entradas têm um custo de 3€ (diário) e 5€ (três dias).