A TUA RÁDIO NO SUL

JÁ TOCOU
 
A TOCAR
 
VAI TOCAR
 
Tecnologia desenvolvida na UAlg promove eficiência energética na hotelaria

Data

Chama-se MTI (Managing The Intelligence) e nasceu de uma spinoff que teve origem na Universidade do Algarve. Sediada no UALG TEC CAMPUS, recebeu mais de meio milhão de euros da Portugal Ventures e prepara-se para apostar na internacionalização de uma solução desenvolvida na UAlg que irá ajudar o setor hoteleiro a gastar menos energia sem prejudicar o conforto dos clientes.

“A nossa solução é composta por dispositivos/sensores e uma aplicação web que, em conjunto, controlam automaticamente o sistema de ar condicionado nos quartos de hotel de modo a que exista sempre uma temperatura de conforto”, explica Miguel Silva, CEO e fundador da MTI. Para além disso, “a nossa solução desliga automaticamente o sistema de ar condicionado caso alguém abra uma janela e sempre que detete que o sistema continua ligado, mesmo após a saída dos hóspedes do quarto”. Entre outros fatores, exemplifica, “através da nossa aplicação é possível verificar a poupança efetuada e parametrizar as temperaturas desejadas nos quartos.”

Esta startup foi criada, em outubro de 2019, através de uma spinoff de um projeto europeu de Investigação & Desenvolvimento Tecnológico (I&DT) em co-promoção com a Universidade do Algarve e com o apoio do antigo quadro comunitário QREN 2012-2016. Através de uma parceria entre a MTI e investigadores da Universidade do Algarve, o projeto consistia em desenvolver dispositivos de Internet das Coisas (IoT) e treinar algoritmos de inteligência artificial, neste caso algoritmos genéticos para otimizar e diminuir os consumos elétricos na utilização de vários equipamentos.

“Considerando que os sistemas de ar condicionado consomem entre 50 a 60% da energia elétrica dos edifícios, a nossa solução contribui, sem dúvida, para um Turismo mais sustentável, já que permite uma poupança de energia associada a estes consumos na unidade de alojamento (quarto de hotel, moradia turística, apartamento turístico, alojamento local) de pelo menos 50%”, afirma Miguel Silva. Segundo o CEO da MTI, “os sistemas de ar condicionado, em especial nos hotéis/alojamentos, normalmente, são utilizados de forma irracional e pouco eficiente a nível energético, pois existe grande desperdício de energia quando o hóspede deixa o ar condicionado ligado e se ausenta do quarto ou quando deixa a janela aberta, ou até mesmo quando o hóspede tenta forçar as máquinas a atingir temperaturas extremas muito rapidamente”. Nesse sentido, “a nossa solução controla e corrige todas estas situações, contribuindo assim para a sustentabilidade da atividade turística desenvolvida nestes edifícios”.

Os potenciais interessados para estes algoritmos de inteligência artificial são proprietários, arrendatários, utilizadores que acedam e utilizem estes edifícios, sejam eles residenciais, de comércio, turísticos, ou de serviços, que utilizem equipamentos/dispositivos consumidores de energia elétrica, como por exemplo ar condicionados, e que queiram diminuir a fatura elétrica desses edifícios, através da utilização dos referidos equipamentos.

Para Miguel Silva, “o investimento por parte da Portugal Ventures é, sem dúvida, um marco na história da empresa, e já está a contribuir para a industrialização da solução, desenvolvimento do departamento de marketing e recrutamento de uma equipa de excelência”. Deste modo, revela, “ainda este ano temos previsto escalar o negócio em Portugal e no mercado espanhol, nos próximos anos queremos estar presentes em toda a Europa, e um dos nossos objetivos é sermos uma referência a nível mundial”.

A terminar, Miguel Silva, licenciado em engenharia Elétrica e Eletrónica pela UAlg, referiu-se à importância da Universidade do Algarve em todo este processo, explicando: “além de termos sede no UALG TEC CAMPUS, a ligação com a Academia foi desde sempre muito importante, não só pela aprendizagem inicial e partilha de conhecimento, mas também pela nossa ligação ao CRIA – Divisão de Empreendedorismo e Transferência de Tecnologia”.