A TUA RÁDIO NO SUL

JÁ TOCOU
 
A TOCAR
 
VAI TOCAR
 
UALG TEC CAMPUS irá contribuir para um emprego mais qualificado no Algarve

Data

O UALG TEC CAMPUS foi oficialmente inaugurado, no dia 29 de março, no Campus da Penha. A inauguração contou com a presença da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, e da Comissária Europeia Elisa Ferreira, responsável pela pasta Coesão e Reformas, que consideram a Aceleradora de Empresas da Universidade do Algarve como um dos melhores exemplos de aplicação de fundos europeus.

A ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, considera que o UALG TEC CAMPUS é uma importante obra para a Universidade, para a cidade e para a comunidade, nas mais diversas áreas. “Esta obra tem o poder de criar pontes”. Ana Abrunhosa referiu-se às 16 empresas portuguesas e estrangeiras que já integram o projeto na sua inauguração e aos 300 trabalhadores qualificados. A ministra lembrou ainda que para reforçar tudo o que esta obra simboliza, é fundamental o envolvimento de todos: estudantes, professores, empresas, investigadores, entre outros agentes. “Problemas complexos necessitam de respostas complexas, este é um bom exemplo.” Tal como já havia afirmado numa anterior visita ao UALG TEC CAMPUS “este é um dos melhores exemplos de aplicação de fundos europeus. Nós aqui temos das melhores empresas do mundo. Fazermos diferente é o objetivo último destes fundos”.

Para a Comissária Europeia responsável pela pasta Coesão e Reformas, Elisa Ferreira, este projeto tem todas as condições para dar a resposta que precisamos neste momento, ou seja, utilizar os fundos que Portugal está a receber de uma forma inteligente. “O que é que isto significa?”, questiona. “Que não os utilizamos para fazer o que já fazíamos no passado, mas sim para responder aos novos desafios, que nos vão obrigar a trabalhar de uma forma completamente diferente.” Na sua opinião, “esta ligação universidade/empresa, dando origem a novas maneiras de fazer o que fazíamos antes, novos produtos, novos mercados ou novos serviços, é essencial para o nosso futuro coletivo.” Para a comissária, “este é o momento de olharmos para os territórios, ver quais são os bloqueios e as potencialidades que cada um tem, e darmos um sentido estratégico aos fundos extraordinários que os contribuintes europeus estão a canalizar também para Portugal”. A terminar, Elisa Ferreira deixou o repto: “isto é uma fotografia, mas eu quero ver o filme todo”, ou seja, “daqui a dois anos vamos ver quantas empresas, a partir deste embrião, saíram daqui, criaram postos de trabalho, estão afirmadas no mercado e registaram patentes.”

Para o reitor da Universidade do Algarve, Paulo Águas, o UALG TEC CAMPUS não se traduz apenas num espaço físico, que as empresas se limitam a alugar. “As empresas também têm um compromisso com a Universidade, como receber estudantes de doutoramento, serem parceiras da Universidade na candidatura a projetos e solicitarem-lhe trabalho na área da investigação e desenvolvimento”. O reitor acredita que existirá um antes e um depois do UALG TEC CAMPUS, que irá contribuir para que a região tenha um emprego mais qualificado.